quinta-feira, 1 de Novembro de 2007

Variedade de cores

Variedade de cores e distribuídas por grupos familiares.

Vou começar por colocar alguns nomes característicos que damos as diferentes mutações de cores existentes e também tentar mostrar através de pequenas figuras ilustradas uma pequena variedade de cores que podemos encontrar actualmente no mercado mundial.

As cores sólidas:

São indivíduos de cores bem acentuadas e definidas, que não demonstram nenhuma outra coloração no mesmo espécimen.


Ex.: Preto, laranja, verde, azul royal, púrpura, azul metálico, vermelha, branco, amarelo e outros.


Os bicolores:

São indivíduos que no seu padrão base contêm duas cores bases, mas sem nenhum outro tipo de mancha, seja no tronco ou qualquer uma das barbatanas.



Ex.: Azul/Amarelo, Azul/ Branco, Castanho/Amarelo, Vermelho/ Amarelo. Preto/ Amarelo e muitas outras.

As cores butterfly:

São indivíduos que no seu padrão base contêm duas ou mais cores, e porque estes já não são chamados de bicolores, pela existência de duas ou mais cores nas diferentes partes do betta, desde que estejam bem ordenadas.




Ex.: Deixem a vossa imaginação correr com todas as cores que possam imaginar.

As cores mármores e Cambodja:

São indivíduos que no seu padrão de cores podaram ser muito variados isto é, nas cores Cambodja na totalidade dos casos o tronco do betta tem sempre uma cor mais clara em relação as cores das barbatanas, podendo esta ser da mesma cor mas mais forte ou de uma outra. Os mármores penso que não haverá qualquer dúvida em perceber que trata-se de indivíduos com o corpo e as barbatanas de cores distribuídas pelas diferentes partes do corpo, sejam elas só duas ou mais cores.



Ex.: Nos da cor Cambodja podem ter das mais variadas cores e mais de duas desde que a cor do corpo do peixe seja sempre mais clara que o resto, Os Mármores têm uma infinidade de mutações que podem aparecer, mais uma vez vamos colocar a imaginação a trabalhar.


As cores com características especiais:

São indivíduos com cores, que do meu ponto de vista têm um grande esplendor e conseguem fazer com que ao olharmos para eles fique bastante difícil conseguir definir a cor, já que em muito dos casos tem um escamado muito brilhante o que os torna bastante atractivos

Em relação a estas cores penso que são aquelas que em este momento serão as mais difíceis de manusear, digo isto porque nem sempre quando juntamos um casal de bettas com o gene da cor Mustard por exemplo, nem sempre iremos ter crias com as mesmas características dos progenitores, muitas das vezes vão nascer mesmo pequenas percentagens de crias com as mesmas características.




Ex.: Copper Gold, Blue/yelow or black Mustard gas, Sunset Shine, Blue smoke, Red or blue Salamander, Gold/Red/black or blue dragon, black evil, Blue smoke, diferents fantasy colors e muitos outros mais que vao surgindo de novos cruzamentos.
(desculpem escrever os nomes em inglês mas a tradução para o português de estas cores do meu ponto de vista não iria ficar tão chique.)

Espero que com estas pequenas explicações do tipo de cores que existem, e o porque da família utilizada para a tal cor já esteja um bocadinho mais esclarecidas.

Os diferentes tipos de Caudas

A cauda dos bettas é uma parte importante no corpo de este, devido ser esta a parte do seu corpo que quando do primeiro contacto visual, nos transmitirá o grupo familiar a que pertence.
Os diferentes tipos de caudas que actualmente existem não são muito, basicamente e em media fica dentro de oito tipos, sendo os mais conhecidos os seguintes:

Veiltail, VT (cauda de véu)


Esta cauda é caracterizada por serem em geral bastante longas e finas, e quando quer fazer uma demonstração de força aos seus adversários ou de vigor para as fêmeas, esta tem uma abertura maior na parte mais perto da base do tronco do que na extremidade deixando-a muito parecida a forma de um véu que esta a ser empurrado por uma ligeira brisa.

Double tail DT (cauda dupla)


Esta cauda podemos dizer que esta na origem de todos os diferentes tipos de caudas que hoje conhecemos. tem a característica de possuir uma cauda dividida em duas partes, regra geral a sua divisão é homogénea e existindo tanto curtas como longas, há alguns casos com caudas de lados diferentes tanto no tamanho no comprimento como na largura, sendo estes também considerados de dupla cauda.


Deltas DLT (cauda delta)

Esta cauda é caracterizada por ter um tamanho bastante razoável e pela abertura em forma de leque, o que o deferência do cauda de véu, e quando o macho faz alguma demonstração de força, esta tem um ângulo de abertura entre os 30º aos 100º de ângulo.




Super delta Tail SDL (cauda super delta)


Cauda com as mesmas características da cauda delta, mas com a particularidade de ter uma abertura superior a esta, podendo ir de um ângulo mínimo de 100º ate os quase 180º. Muitas das vezes que vemos um destes exemplares bem desenvolvidos é bastante difícil de os diferenciar dos Halfmoon.




Crowntail CRT (cauda de coroa)


O betta com a cauda de coroa é facilmente reconhecida e diferenciada das outras, já que é caracterizada por ter em todas a barbatanas (ventrais, dorsal e peitoral) e cauda prolongamentos dos filamentos espinhosos, estas podem ser de vários tipos, como os raios duplos, triplos, múltiplos, desordenados, cruzados o Kingcrowntail, curtos e longos.




Plakat PKT (cauda curta)

Cauda com as características o mais próximo dos seus ancestrais, por ser bastante curta e arredondada, também a barbatana ventral tem um acabamento característico acabando na maioria em bico.
Ao longo dos tempos com poucas modificações, mas existindo já muitos de eles de cauda com bastante abertura, quase com ângulo de um HM (180º), e possuidores do gene halfmoon.



Halfmoon Plakat PKHM (cauda curta meia lua)


São bettas com barbatanas e cauda curta, bastante próximos do plakat comum, que ao longo dos tempos foi melhorando a sua forma em relação ao plakat; podendo ser diferenciados facilmente por vários pormenores que o exemplar apresente, o ângulo de abertura da cauda igual ou superior a 180º, barbatana dorsal e ventral de tamanho grande e homogéneas, em alguns o acabamento da barbatana ventral é mais arredondada que o plakat comum, mas sempre de tamanho superior que a cauda.
Existe hoje muita diversidade de cores, algumas de ela bastante exóticas, derivadas de cruzamentos feitos com exemplares escolhidos a pente por criadores de todo o mundo, mas principalmente asiáticos.
É de salientar também que este tipo de exemplar nos últimos anos, esta a ficar bastante popular por toda Europa existindo já criadores que estão a dedicar-se única e exclusivamente com esta estirpe de cauda.



Halfmoon HM (cauda meia lua)



Os Halfmoon ou cauda meia lua são chamados de esta maneira devido a abertura da cauda a quando quer fazer-se notar ser igual a 180º, sendo considerados por muitos dos amantes deste peixe como o máximo em beleza e harmonia, tanto pelas longas caudas e barbatanas que possui como pela sua amplitude de abertura no momento em que quer demonstrar a sua força, o seu tamanho, a beleza e estado de perfeita saúde em que se encontra.
Também em esta variedade de cauda encontramos uma diversidade de cores, que na maioria dos casos resulta da combinação de machos de cores sólidas com fêmeas de cores variadas, encontrando de esta maneira muitas cores mármore, butterflies e cores exóticas.
Também existe alguns exemplares com abertura da cauda superior a 180º, estes chamados de overhalfmoon.
Os peixes HM considerados em concursos como exemplares perfeitos e merecedores de prémios são aqueles que no contesto total as barbatanas dorsal e ventral têm o tamanho igual a cauda, formando no conjunto uma lua quase cheia.
Também é de salientar que quando cruzados dois exemplares de esta estirpe, todos eles vão possuir o gene HM, mas só uma parte dos rebentos que atingem a maturidade é que ficam com a cauda que lhes da o nome.

terça-feira, 30 de Outubro de 2007

Contacto

Martinho Nóbrega Brazão.
Santo António 9020-223
Funchal Madeira
Portugal

Email:
bettamadeira@hotmail.com
bettamadeira@aeiou.pt